domingo, 27 de Janeiro de 2013

a propósito da falta de tempo

O tempo é um bem escasso e é pouco valorizado quando somos mais novos. O tempo não aumenta, nem diminui. Simplesmente existe para ser usado e infelizmente não pode ser recuperado quando mal empregue. O meu tempo é, assim, precioso. Não me entendam erradamente. O meu tempo é tão precioso quanto o vosso. Nem mais nem menos.

Com um horário de trabalho longo, não trabalhasse eu o dia inteiro, praticamente todos os dias da semana, é essencial saber bem o que fazer com o pouco tempo livre que disponho para mim. Diria mesmo ser essencial escolher bem com quem o passo ou invisto. A falta de tempo livre deu-me uma nova perspectiva sobre quem me rodeia. Porquê perder tempo ou fingir gostar de passar tempo com pessoas que não acrescentam nada de novo? Ou seja, qual o sentido de as ter na minha vida?

Chegado a um dia de folga, penso com quem a gostaria de passar. A família e o namorado ficam em primeiro lugar. Sempre. Quando eles não estão disponíveis, automaticamente penso em dois amigos. Ela, que conheço desde os nossos tempos de triciclo. Ele, que conheci na adolescência e que desde então nunca mais nos largámos. E se não estiver com eles, tristemente não me apetece investir energia em mais ninguém. Mais uma vez não me interpretem erradamente. Tenho mais um punhado de bons amigos. Mas o nível de energia que me apetece investir neles reduziu. Prefiro guardar o tempo livre para mim.

Preciso de renovar o meu leque de amizades.
Ou de novos interesses.
Apetece-me um risotto.

11 comentários:

  1. Desde que te sintas bem e estejas bem, isso é que importa :)

    Não te esqueças que por vezes um sms ou um telefonema para dizer um olá tem tanto ou mais impacto, que uma tarde a jogar conversa fora ;)

    Abraço amigo

    P.S - tenho saudades tuas, das tuas visitas ;)

    ResponderEliminar
  2. o Francisco tem razão. o tempo é precioso. saboreá-lo com as pessoas mais importantes da tua vida é essencial. deixa também um tempo para ti, só para ti, uns minutos por dia são suficientes. estares feliz assim, a tua vida, embora difícil, é a que escolheste.
    bjs e boa gestão do tempo.

    ResponderEliminar
  3. É natural que utilizes o pouco tempo que tens disponível nas pessoas que te são mais chegadas e queridas, assim como é compreensível que o trabalho e o cansaço te afastem um pouco aqui do nosso convívio. Evidentemente, sentimos a tua falta! :)

    abraço grande.

    ResponderEliminar
  4. Concordo plenamente contigo quando dizes "Porquê perder tempo ou fingir gostar de passar tempo com pessoas que não acrescentam nada de novo? Ou seja, qual o sentido de as ter na minha vida?".

    Estar com alguém por "frete" ou sentir que alguém está connosco pela mesma razão não é mau. É péssimo. Mas isso sou eu a dizer, que também não sou totalmente puro...


    Grande Abraço :)

    ResponderEliminar
  5. Tenho a mesma opinião que tu; mas não só em relação a pessoas, também em relação a coisas. Eu preciso de tempo para fazer certas coisas que só me dizem respeito a mim próprio: organizar-me...
    A gestão do tempo é muito importante e nada mais inútil que tempo mal gasto.
    Mas também não caio na rotina e de vez em quando é bom lembrar quem está ausente ou menos presente.

    ResponderEliminar
  6. E mesmo sem tempo apareces - o que é bom!
    O tempo é um dos temas que eu abordo de quando em quando.
    Se dominasse o tempo era mágico!

    abraço

    ResponderEliminar
  7. Eu não sou tão radical. Claro que é importante passar o tempo com pessoas que são significativas para nós, mas se não passares também algum tempo com pessoas novas e a manter vivas outras ligações, o teu networking vai ficando mais pobre. Sou um bocado apologista da teoria de Ferrazzi, nunca almoçar sozinho (já agora, um bom livro).

    ResponderEliminar
  8. Já somos dois! Os meus AMIGOS contam-se pelos dedos de uma mão!

    ResponderEliminar